O que é Resiliência “no trabalho” ?

Apesar de essa palavra se ter tornado uma gíria corporativa, poucas pessoas sabem ao certo o que significa.

A resiliência é uma característica cada vez mais valorizada em profissionais de todas as áreas, especialmente em momentos como o que passamos em Angola, quando pressão e crise fazem parte dos nossos dias.

Para entender, é importante lembrar que esse termo foi emprestado do vocabulário da física e, originalmente, se referia à capacidade de um material voltar ao seu estado normal depois de ter sofrido tensão.

No vocabulário profissional, o sentido é basicamente o mesmo. A diferença, claro, é que neste caso a “tensão” é emocional e o estado que precisa voltar ao “normal” é o mental – e não o físico.

“Dentro das organizações, sofremos pressão por resultado, por capacidade de liderar e desenvolver pessoas, otimizar recursos, reduzir custos, sem contar o trânsito, a falta de tempo etc” –  Sandra Cabral, Directora de Desenvolvimento & Carreira da DMRH.

“Resiliência é administrar tudo isso sem perder o foco”.

 

Segundo a especialista, a busca por profissionais com essa característica vem aumentando no mercado de trabalho como um todo e a tendência não deve desaparecer tão cedo.

“Antigamente, eu atendia empresas de tecnologia e elas pediam resiliência”, diz ela. “Hoje, todas pedem”, afirma.

Agora que sabemos o que é resiliência, vejamos alguns meios de obtê-la:

  1.  Conheça os seus limites. “Esse é o primeiro ponto”, diz Sandra. E explica que o auto-conhecimento é essencial para um profissional saber até onde pode ir. “Você precisa de saber até que ponto pode chegar e de que ponto não pode passar de forma alguma.”
  2.  Não leve tudo para o lado pessoal. Uma característica comum nos profissionais resilientes é a de saber separar o que é pessoal do que é profissional. “Quando um projecto em que estiver a trabalhar for engavetado, por exemplo, você vai precisar de ampliar o olhar para perceber os motivos reais desse ‘engavetamento’ e não pensar que tudo aconteceu porque o chefe não gosta de si”. Segundo Sandra, essa ampliação do olhar requer treino e pode, sim, ser desenvolvida por todas as pessoas. “É como se saísse da cena do crime e olhasse de fora, de forma mais objectiva.”
  3.  Conheça as suas potencialidades. Aqui, novamente está em jogo o auto-conhecimento. Isso porque, segundo a especialista, quem sabe quais são seus pontos fortes costuma suportar melhor críticas e situações adversas. “Se tiver uma visão real das suas qualidades, muito provavelmente vai conseguir se manter mais inteiro mesmo nos piores momentos, sem deixar que tudo se transforme em um caos”, diz ela. “Claro que na prática não é fácil, mas esse com certeza é um bom caminho para desenvolver a resiliência.”

Sabe de mais alguma forma de treinar a sua resiliência? Não hesite, comente e partilhe 😉


Receba as últimas publicações e novidades da Jobartis

Nome
Email
Telefone