Dicas para ser pro-activo além do currículo

Pro-actividade

Esta é sem dúvida uma das qualidades padrão encontradas na maioria dos currículos por ai.

Desde o primeiro currículo na busca por um estágio, para não deixar o papel em branco, acaba-se preenchendo-o com características comportamentais do tipo.

Afinal de Contas

Muitos mal sabem identificar essa característica na prática.

O candidato, quando perguntado pelo entrevistador sobre um exemplo desse comportamento no trabalho, universidade, enfim, na vida, bem, aí falta estória pra contar…

O que significa Pro-actividade?

Basicamente, significa assumir um papel activo ao controlar as situações fazendo com que as coisas aconteçam ao invés de apenas esperar pelo que vai acontecer para então agir.

Significa focar no presente, mas com um olhar a todo o tempo no futuro, se perguntando “e se?” …e se isso acontecer? …e se demorar muito tempo para acontecer? …ou definitivamente acontecer o contrario do esperado? Ser pro-activo é ser observador…e bom ouvinte também.

Exemplo

Um exemplo bastante prático da presença ou não dessa característica em nosso comportamento é quanto ao cuidado com a saúde.

Se por exemplo, você vive uma vida sedentária e com alimentação desregrada. Espera ficar doente para ver um médico ou cuida de sua alimentação e faz exercícios para ajudar a evitar as doenças?

Dependendo de sua resposta, você é ou não pro-activo neste quesito. Aliás, este é um bom exemplo para se dar numa entrevista, principalmente se o candidato tem pouca ou nenhuma experiência no mundo corporativo que poderia servir de exemplo.

Apesar do termo “pro-actividade” ser muito pouco ouvido e discutido, a verdade é que ele está mais presente no dia-a-dia no trabalho do que podemos imaginar, e mais, é um dos elementos chaves para para o sucesso na carreira profissional.

3 situações onde a sua pro-actividade é posta à prova no trabalho:

  •  Você está a espera que o seu chefe lhe ofereça um aumento salarial… até quando?

Outro dia li um diálogo de amigos na internet sobre isso. Um diz ao outro que estava há meses a espera que o chefe lhe chamasse para lhe oferecer uma promoção e/ou aumento salarial. Estava já a chegar ao limite de sua paciência, inclusive a pensar em trocar de emprego.

O segundo não deixou de perguntar: “Você o chamou para uma conversa sobre o assunto?”, Não! disse o primeiro. “Não quero ter que me humilhar, mendigar, etc…” Então o segundo disse a ele que o chefe poderia ser pro-activo e procurar entender melhor os anseios de seus comandados, o que permitiria que uma acção rápida fosse tomada antes de chegar-se a uma situação insustentável, isto é verdade.

Mas como isso não ocorreu, o segundo deveria tomar as rédeas da situação e chamar o chefe para uma conversa.

Outro problema é que os gestores estão cheios de trabalho, faltas de recursos, prazos expirados, que acabam por perder esse ponto importante da gestão de pessoas, o que não significa necessariamente que o chefe não valoriza o pessoal que tem. Às vezes, basta uma conversa para resolver tudo. E foi o que o segundo fez e agora segue no emprego satisfeito pelo aumento e confiança transmitida pelo chefe.

  • Está a espera que o seu chefe lhe pergunte se tem aquela habilidade tão urgente para a empresa?

Normalmente estamos todos atentos aos novos negócios fechados na empresa, as aquisições, fusões, as novas demandas do mercado, certo? Ao identificar essas mudanças com antecedência, passamos a ter o tempo como aliado em prol da nossa adaptação à novas necessidades de negócios na empresa, fazendo com que o nosso valor aumente. Afinal poucos estariam prontos a concorrer connosco em tão pouco tempo. Poucos concorrentes, demanda urgente, valor acrescido. Simples e infalível lógica de mercado.

Aliás, caso você já tenha as habilidades necessárias, ofereça-se. Isto também é pro-actividade.

  • Costuma dizer bom dia aos seus colegas no trabalho?

Você dá bom dia ou espera para responder somente a aqueles que o fazem no seu ambiente de trabalho? O “bom dia”, embora seja algo simples, tem um forte significado: mostra sinal de pro-actividade. Se você dá bom dia, você tem predisposição para se relacionar com os colegas, não apenas fica esperando no canto se convidado para algo. Aquele pensamento do tipo “só falo com eles se falarem comigo” não ajuda em nada.

Aproxime-se das pessoas e verá que muitas vezes aquele que lhe pareceu convencido, arrogante, na verdade é apenas o jeito dele ou dela. Ou caso a pessoa seja tudo isso mesmo, ao menos terá melhor conhecimento quanto ao tipo de pessoa que está lidando, sem fazer injustiças. Pro-actividade também é chamar a pessoa para conversar em caso de algum mal-entendido, conflito mal interpretado.

Numa simples conversa no café aprendemos muito na troca de opiniões, sejam elas relacionadas ou não ao trabalho. Aprendemos, no mínimo, a conhecer as pessoas que nos rodeiam e assim antecipar, ao menos em parte, suas acções, seja para nos proteger de ataques dos mal intencionados ou estreitar relações com pessoas que nos edificam e inspiram com boas ideias, comportamentos, know-how…

Muitos demitidos, promovidos, encostados no trabalho, e por vários motivos. Se pensarmos bem, a palavra pro-actividade está meio que escondida entre muitos deles. Seja para nossa glória ou desgraça. Vale a pena investir tempo para reflectir sobre o assunto antes que o leite já esteja derramado. Claro que nunca é o fim do mundo, mas seria menos doloroso assim.

E você, tem mais exemplos de pro-actividade que gostaria de compartilhar connosco? Deixe sua opinião, partilhe…

 


Receba as últimas publicações e novidades da Jobartis

Nome
Email
Telefone